quarta-feira, 25 de outubro de 2017

“Memórias Contemporâneas” pauta a fotografia latino-americana

“Arquivo, memória e identidade na fotografia latino-americana” é o tema da 5ª edição do projeto “Memórias Contemporâneas” realizada conjuntamente pela Fundação Pedro Calmon (FPC), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), e o Goethe-Institut Salvador-Bahia. Dois fotógrafos são convidados do encontro: Ángela Bonadies, de Caracas/Venezuela, e Paulo Coqueiro, da Bahia/Brasil, com mediação de Fábio Gatti (PR/BA). O evento será no dia 30 de outubro (segunda-feira), às 19h, na Biblioteca do Goethe-Institut, com entrada franca.



Instituído pelo Centro de Memória da Bahia da FPC, o “Memórias Contemporâneas” é um projeto nas áreas de história e memória que objetiva a constituição de um banco de dados audiovisual acerca da cultura e seus agentes, a partir da década de 1950. Os encontros, que se atentam à relação de organizações e movimentos sociais com o campo da cultura e o protagonismo das linguagens artísticas nas disputas identitárias, são registrados em vídeo. Pondo em diálogo agentes convidados e o público, o pensamento calcado na memória é difundido, gerando, assim, outra fonte de conhecimento que não apenas os documentos escritos. A parceria entre a FPC e o Goethe-Institut atribui ao projeto o compromisso de desenrolar temas de reflexão a partir de experiências globais, perpassando as relações de poder na contemporaneidade na discussão de pautas urgentes.

CONVIDADOS – A fotógrafa venezuelana Ángela Bonadies é uma artista cujo trabalho está focado em memória, arquivo, espaço urbano e pensamentos sobre a imagem fotográfica. Ela está na capital baiana como residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia, sendo bolsista do Goethe-Institut Caracas. Já realizou diversas exposições na Venezuela e em países como Estados Unidos, Espanha e Alemanha. Recebeu o “Prêmio Latinoamericano de Fotografia Josune Dorronsoro”, em 2004, e a “Ayuda a la Creación”, em 2008, oferecida pelo centro de criação Matadero Madrid. Seu projeto “La Torre de David” recebeu o reconhecimento “Best Architecture and Landscape Projects 2011” (Melhor Projeto de Arquitetura e Jardinagem 2011), promovido pela revista Polis e pelo site DomusWeb. Em 2016, foi convidada como artista residente da “18th Street Arts Center”, em Santa Monica, Califórnia, em conjunto com o Los Angeles County Museum of Art (LACMA), para participar da exibição “A Universal History of Infamy / Pacific Standard Time: LA/LA” (2017-2018).

Fotógrafo residente em Salvador, Paulo Coqueiro é graduado e mestre pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Dentre suas exposições, destacam-se: Videoinstalação no Mercado Cultural (Teatro Castro Alves, 2011); duas edições dos Salões de Artes Visuais da Bahia (2012/14); Menção Especial do Júri na XI Bienal do Recôncavo (2012); mostra individual no ICEP (2012); Circuito das Artes e Mostra Triangulações (Belém/PA, Maceió/AL e Salvador/BA, 2014); Circuito das Artes e mostra Triangulações (2015). Dois ensaios seus estão no acervo permanente do Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana. Em 2016, foi selecionado para leitura de portfólio no Fórum Latino-Americano de Fotografia, São Paulo. Foi um dos organizadores da exposição coletiva do movimento Carta das Laranjeiras – Convocatória dos 100, exibida em mural no Centro Histórico de Salvador. Foi selecionado para os 10 anos do Circuito das Artes, da Escola de Belas Artes da UFBA. Em 2017, passou a integrar o Conselho da Fundação Pierre Verger, recebeu a Bolsa-Prêmio do FestFoto Porto Alegre para a Trienal de Fotografia em Hamburgo/2018 e foi selecionado para exposição individual no Centro de Fotografía de Montevideo (CdF) e para os Encuentros Abiertos, na Argentina. Paulo Coqueiro foi também vencedor do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2016/2017, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), cuja exposição pode ser visitada no Palacete das Artes até 12 de novembro. 

Mediador do debate, Fábio Gatti, nascido no Paraná e residente na Bahia, possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), especialização em História e Teoria da Arte: Modernidade e Pós-Modernidade e em Fotografia – Práxis e Discurso Fotográfico, ambas pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e doutorado em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Atualmente, é professor colaborador da UFBA, pesquisador da Unicamp e revisor de periódico da Cadernos de Arte e Antropologia. Atua principalmente nos temas de arte e fotografia. Em seus trabalhos, ocupa-se em dialogar com aspectos da ausência, da corporalidade, do espírito e da matéria, mais adepto dos feitos manuais do que tecnológicos.
- Data: outubro 25, 2017 / Por: Antônio Melo | Comente!  Edit

0 comentários:

Postar um comentário