sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Secretarias de Turismo e Cultura de Ilhéus apresentam o projeto “Museu da Capitania”


O projeto de instalação do “Museu da Capitania” foi apresentado na tarde de quarta-feira (23), no salão nobre do Palácio Paranaguá, que será a futura sede do museu. Na oportunidade, o secretário municipal de Turismo e Esporte de Ilhéus, Alcides Kruschewsky, destacou a necessidade de desocupação do prédio para iniciar a revitalização do espaço público. Em seguida, o vice-prefeito, José Nazal, fez uma palestra sobre a história da Vila de São Jorge dos Ilhéus e do Palácio Paranaguá, epicentro da vida da cidade no último século.
O secretário municipal de Cultura, Pawlo Cidade, apresentou toda a concepção do projeto e falou sobre os possíveis ambientes da nova estrutura. Por fim, o chocolatier francês, Christophe Puyodebat, mostrou seu famoso acervo de chocolate e disponibilizou parte deste material para colaborar na construção do museu, coleções e obras.
Na ocasião, foi apresentada a museóloga, Juliane Silva, recém-convocada do concurso público 002-2016 da Prefeitura Municipal de Ilhéus, que falou sobre sua expectativa. “O projeto é interessante, e utilizar da estrutura do Palácio é preservar o patrimônio publico e a historia local. O acervo precisa ser catalogado e guardado, para não se perder no tempo” enfatiza.
De acordo com o secretário Paulo Cidade, o Museu da Capitania pretende ser um espaço de memória, onde serão revividas as historias do patrimônio material e imaterial da capitania dos São Jorge dos Ilhéus. “O museu contará com salas temáticas, contendo espaços sensoriais que dialogam para narrar a historia da capitania. O projeto foi lançado e apresentado, agora o próximo passo será captar recursos para torna-lo realidade” explica.
Historia e cultura - O museu terá uma estética tradicional ortodoxa, onde o objeto é um elemento essencial como produto cultural. “Ilhéus é um ponto de partida para contar a historia da capitania, em núcleos de exposições integradas, com espaços de documentos históricos, salas de cabruca, lendas e culturas populares, personagens históricos, restauro, auditório e de exposições de objetos e utensílios” ainda Pawlo Cidade.
O francês Christophe apresentou parte do seu famoso acervo do Museu do Chocolate. Composto por peças de valor, como máquinas de pedra de moer amêndoas, ferramentas antigas, moldes, coleções de caixas de chocolate antigas, chocolatiers de cobre, estanho, porcelana, xícaras excêntricas, dentre outras. O acervo traz um conhecimento ancestral da evolução da atividade de produção do chocolate e foi disponibilizado para o museu.
Historia - O Palácio Paranaguá foi construído sob as ruínas do Colégio dos Jesuítas. Teve sua pedra fundamental lançada em janeiro de 1898 pelo intendente da época coronel Domingos Adami de Sá, que inaugurou o espaço público em 22 de dezembro de 1907. Segundo o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (IPAC), os trabalhos de pintura e decoração foram realizados pelo artista italiano Oreste Sarcelli e os serviços de iluminação pelos irmãos Vita.

foto: Clodoaldo Ribeiro
- Data: janeiro 25, 2019 / Por: Antônio Melo | Comente!  Edit

0 comentários:

Postar um comentário